A importância dos dados na gestão do SUAS

Dados devem ter papel estratégico na gestão do SUAS. Eles estão no centro da tomada de decisões, da criação de estratégias, perpassando toda a implantação ou execução de serviços, programas, projetos e benefícios socioassistenciais.

Os dados e as informações, ou a ausência deles, não são apenas responsabilidade das áreas de Vigilância Social. Por sua vez, afetam não apenas a Gestão, como também todos os trabalhadores do SUAS e toda a oferta da Política de Assistência Social.

Uma parcela significativa das dificuldades de implantação e execução das ações da Assistência Social pode ser atribuída à ausência de dados produzidos. Já que os dados se transformam em informação e conhecimento sobre a realidade socioterritorial, as vulnerabilidades e violências, sobre a cobertura de proteção social em determinado território, etc. Assim, tornam-se a base para o planejamento quanto a necessidade de novos serviços. São imprescindíveis também para o monitoramento e a avaliação da oferta dos serviços.

software para CRAS CREAS - GESUAS

Afinal, quais são os dados importantes no SUAS?

Poucos gestores e equipes do SUAS sabem a amplitude de dados que é necessário registrar, atualizar e gerenciar para que o SUAS possa funcionar da maneira adequada. A coleta de dados deve começar, por assim dizer, pelos dados pessoais do próprio gestor, trabalhadores do SUAS e conselheiros. Coletar e manter esses dados atualizados evita uma série de prejuízos dos quais falaremos mais adiante.

Reunir dados sobre os equipamentos e tipos de serviços ofertados em cada um deles também é importante. Não apenas para quantificar a oferta da proteção social nos territórios, mas também para informar à população onde e como acessá-los.

Todos os dados pessoais e socioeconômicos dos usuários são dados de extrema importância para construir diagnósticos, perfil dos usuários, etc. Dados sobre escolaridade, local e condições de moradia, gênero, raça, existência de membros com deficiência e/ou idosos também são dados que devem ser registrados, analisados e gerenciados. Eles vão oferecer ao gestor e às equipes, informações importantes para o planejamento e implantação de novos serviços, de ações intersetoriais, ações que atendam as especificidades dos indivíduos dos grupos mais vulneráveis etc.

Leia também: A Vigilância Socioassistencial no combate a Covid-19

Um outro conjunto de dados importantes no SUAS são os dados referentes às situações de violência e violação de direitos. Associadas aos territórios onde ocorrem, podem ajudar a traçar um importante diagnóstico indicando as áreas de maior risco e vulnerabilidade social.

Sua análise pode, ainda, auxiliar na reflexão não apenas sobre suas causas, como também indicar o tipo de ações e intervenções a serem realizadas pelos serviços. Podem também ser fator de grande contribuição para a construção de ações intersetoriais.

O registro de dados sobre o atendimento nos programas e serviços é igualmente importante. Deve-se registrar dados sobre a quantidade de atendimentos, tipos de atendimento, frequência da oferta e frequência do usuário. E ainda, atentar para a necessidade de registrar, coletar e analisar dados sobre a concessão dos benefícios socioassistenciais, sejam os eventuais ou os continuados. Esses dados é que possibilitarão não só uma análise quantitativa, como também qualitativa sobre essa oferta. Trarão clareza sobre onde estão localizados os maiores grupos vulneráveis e sobre a necessidade de investimentos na articulação com os serviços socioassistenciais e as políticas setoriais para a superação da pobreza, de barreiras para inclusão social, etc.

faixa formulário beneficio eventual

Por último, destacamos a importância dos dados de origem físico-financeira. O registro e análise dos dados sobre os recursos financeiros disponíveis, sobre o orçamento, transferências, saldos de contas correntes dos fundos municipais são alguns dos dados financeiros mais importantes. Esses dados oferecem a possibilidade do gestor tomar melhores decisões, otimizar os recursos, de dar transparência pública a utilização dos recursos, etc.

Gestão dos dados e a importância dos sistemas informatizados

Para gerenciar os dados o gestor deve criar processos para manter todos esses dados organizados. Ou seja, deve implantar uma política de gestão da informação. Isso compreende estabelecer rotinas de processamento, armazenamento, classificação, identificação e compartilhamento de registros de dados. O gerenciamento de dados permite que os dados e informações cheguem aos trabalhadores, conselheiros, órgãos de controle social, à população usuária e a todas as pessoas que precisam deles.

Para tanto, a política de gestão dos dados deve incluir documentos de registro eletrônicos, como planilhas e outros documentos virtuais e físicos, tais como documentos fiscais, atas de reuniões e registro de presença. Considerando a quantidade de dados necessários é importante considerar a utilização de sistemas informatizados no âmbito municipal.

O uso da tecnologia deve ser encarada como uma parceira. Oferecem ferramentas capazes de ajudar gestores e trabalhadores do SUAS a desempenhar melhor suas funções e cumprir suas responsabilidades. Essas ferramentas oferecem recursos de segurança no armazenamento dos dados, possibilidade de edição, visualização e compartilhamento de dados. Além do que, propiciam manter os dados disponíveis rapidamente, sempre que gestores e trabalhadores precisarem.

Impactos da ausência ou má gestão dos dados

Fica claro a importância dos dados na gestão do SUAS. Portanto, podemos  imaginar que a sua ausência ou a má gestão dos dados pode implicar em grandes perdas, sobretudo para a população que necessita de proteção social. Elencamos aqui alguns dos possíveis impactos:

  • Risco de incorrer em improbidade administrativa
  • Perda financeira por uso inadequado ou má utilização dos recursos
  • Ausência de fluxos de trabalho ou construção de fluxos de trabalho ineficientes
  • Inadequação na oferta de serviços
  • Ausência de proteção social onde ela é mais necessária
  • Aumento da violência e violação de direitos, entre muitos outros.

Conclusão

O histórico assistencialista da política de assistência social explica a dificuldade em reconhecermos a importância dos dados para a consolidação do SUAS. No entanto, é necessário caminharmos na direção de modelos mais modernos de gestão para que a oferta da assistência social seja fortalecida.

Em outras palavras, é possível afirmar que a gestão da informação, por meio da integração entre ferramentas tecnológicas e operação de direitos sociais, torna-se um produtivo componente para: a definição do conteúdo das políticas sociais, o monitoramento e a avaliação da oferta e da demanda de serviços públicos essenciais como os de assistência social.

Nessa empreitada, uma das melhores opções pode ser contar com um sistema para gestão das informações do SUAS. O GESUAS é um exemplo e foi construído tendo como base as normativas que regem o SUAS e a rotina dos seus trabalhadores. Ou seja, não só é adequado às regras e legislações específicas, como foi pensado para garantir a efetividade e eficiência do trabalho dessa política pública. Solicite sua demonstração com um dos nossos consultores sem compromisso:

software para CRAS CREAS - GESUAS

Leia também

Comentários